SINDSFOP discursa na Câmara contra o atraso dos salários

Na última terça-feira, dia 13 de novembro, a diretoria do sindicato esteve na Câmara Municipal de Ouro Preto (CMOP), acompanhada de um grupo de servidores e funcionários públicos municipais, para reivindicar, principalmente, o pagamento dos salários atrasados. Além do atraso exposto durante o uso da tribuna pela diretoria, o SINDSFOP ainda se manifestou, pela terceira vez em 2018, sobre as situações de desrespeito vividas pelos trabalhadores municipais, já que os acontecidos têm se repetido e a luta em prol de melhores condições para os servidores continua.

O Presidente do SINDSFOP, Mauro Fonseca, expôs na tribuna a situação: desde a precarização dos serviços, passando pela falta de insumos e a sobrecarga de trabalho em alguns locais até o descumprimento de algumas cláusulas do acordo coletivo, como o não-pagamento dos vales dos servidores aposentados. Diante da precarização, o presidente disse que os trabalhadores ouro-pretanos estão insatisfeitos com o retorno dado pela gestão municipal. O agravante atual compartilhado perante os vereadores é o pagamento com atraso do salário do servidor e, quando pago, é de forma parcelada.

Presidente do SINDSFOP Mauro Fonseca discursa na CMOP

Em novembro, após pressão do sindicato, ocorreu uma negociação com a gestão municipal sobre os salários atrasados. Durante a reunião, foi marcada a data de 9 de novembro para o depósito do pagamento. Contudo, mais uma vez, um desrespeito ao servidor: o pagamento da primeira parcela foi realizado somente dias depois, em 14 de novembro. Deixando vários servidores endividados, com contas a vencer, causando mais estresse e preocupação aos trabalhadores.

“Sabemos da crise vivenciada pelo município, da menor arrecadação e de outros problemas financeiros. Estamos acompanhando e já fazemos reuniões periódicas, inclusive com o Secretário da Fazenda. Apresentamos várias sugestões para que o munícipio se adeque à nova realidade. Contudo, falam de crise no município, mas não propõem medidas apropriadas para melhorar a gestão. É necessária uma mudança, reforma administrativa. Rever os contratos, que já estão sendo questionados. Os secretários precisam ter mais metas para otimizar os recursos. Por isso estão faltando recursos para pagar o servidor. Isso gera um impacto enorme. O servidor continua desmotivado, desvalorizado e desrespeitado”, apontou o Presidente Mauro.

O SINDSFOP reiterou a cobrança por melhorias na gestão, que deve adaptar seus gastos à realidade atual. Ainda foi solicitado um maior posicionamento do executivo e diálogo com os servidores, sindicato e com a população sobre os problemas do município e sobre as soluções viáveis. Todos sofrem, a população está revoltada e precisa sentir que o executivo está empenhado em resolver as demandas.

Servidores e funcionários públicos municipais na CMOP

A diretora do SINDSFOP Márcia Mota também utilizou a tribuna para expor sobre o atraso dos salários. “Venho aqui para pedir algo que é direito nosso, já trabalhamos trinta dias para receber esse salário. Estamos todos apertados financeiramente. Precisamos do apoio dos vereadores para parar de passar por essa humilhação. Estou cansada!”, disse a diretora Márcia.

A diretora Márcia Mota faz uso da tribuna na CMOP

 

Após o uso da tribuna, alguns vereadores presentes na reunião se manifestaram a respeito da situação vivida pelos servidores e um grupo demonstrou apoio aos trabalhadores. Assim, a comissão especial – composta pelos vereadores Geraldo Mendes (PCdoB); Juliano Ferreira (MDB); Marquinho do Esporte (SD); Regina Braga (PSDB) e Vander Leitoa (PV) – se comprometeu a reunir com a diretoria do sindicato e o executivo para resolução de problemas.

Reportagem da CMOP: “Sindsfop e membros da Ocupação Chico Rei participam da reunião dos vereadores ouro-pretanos”

Reportagem da TOP Cultura: “Sindicato dos Servidores Públicos participam da reunião da câmara de Ouro Preto”